Minhas Leituras #55: Sobre a morte – Arthur Schopenhauer

Título: Sobre a morte: pensamentos e conclusões sobre a ultimas coisas
Autor: Arthur Schopenhauer
Editora: WMF Martins Fontes
Ano: 2013
Páginas: 112
Tradução: Karina Jannini
Encontre este livro na Amazon: https://amzn.to/2x2uzz5

“E o fato de a vida, como todos sabem, não ser brincadeira permite concluir que a morte é coisa séria.” (SCHOPENHAUER, Arthur. Sobre a morte: pensamentos e conclusões sobre a ultimas coisas. WMF Martins Fontes, 2013, p. 6)

Um tema muito recorrente ao ser humano é a morte. Existem diversas explicações para esse fato que chega a todos, desde religiosas, históricas, filosóficas, etc. Muitos foram os filósofos que abordaram a morte, dentre eles está Arthur Schopenhauer, com ideias bem fundamentadas e atraentes; uma nova forma de encarar o fim. Continuar lendo “Minhas Leituras #55: Sobre a morte – Arthur Schopenhauer”

Anúncios
Minhas Leituras #55: Sobre a morte – Arthur Schopenhauer

Poema: Breve

Já parou para pensar em como o tempo é breve? A vida é um espaço de tempo, curto, longo; cada indivíduo a percebe de maneira diferente. Há quem vive anos em apenas um mês, assim como existem aqueles que vivem apenas alguns dias em décadas.

Nossa pulsão de vida fala mais alto; por mais que o tempo seja breve, não queremos largá-lo. Aceitar que tudo chega a um fim é uma grande virtude. Por isso devemos fazer valer a pena todo o mínimo com que somos agraciados.

Eis, então, um poema que tenta exprimir a brevidade do tempo, de forma breve, assim como seu título indica, afinal o muito, às vezes, pode significar pouco, e vice-versa. Continuar lendo “Poema: Breve”

Poema: Breve

Lidando com o comportamento suicida em psicoterapia

Falar sobre suicídio é algo delicado, porém muito importante. No Brasil, dados do Ministério da Saúde, coletados entre 2011 e 2015, apontam um crescimento de 12% no número de suicídios. São dados alarmantes, que devem ser colocados em pauta.

As diversas áreas do conhecimento em saúde são de grande importância para a prevenção de novos casos. Uma delas é a psicologia, que possui vasto conhecimento para ajudar na reversão desses desses índices. Não é um texto que aborda uma teoria principal, mas sim questões que todo profissional deve ficar atento ao lidar com clientes com tendências suicidas. Fukumitsu faz bons apontamentos sobre como o psicoterapeuta deve lidar com o comportamento suicida, fiz algumas anotações sobre os principais pontos. Continuar lendo “Lidando com o comportamento suicida em psicoterapia”

Lidando com o comportamento suicida em psicoterapia

Poema: O estande

Quem nunca errou, que atire o primeiro ‘não gostei’ nesse post!

Errar é comum, ao longo da vida erraremos incontáveis vezes. Mas, nós humanos, temos a capacidade de raciocinar e também temos concepções sobre aquilo que é certo e errado. Eis nossa perdição.

Acho difícil não existir alguém que nunca se sentiu culpado após cometer um deslize, após dizer o que não deveria, ou após magoar alguém. Isso faz parte de nós, afinal, ninguém quer ser mau.

Alguns desses erros são cometidos de forma inconsciente, mas, a maioria, é exercida com uma noção do que está sendo feito. Podemos fazer escolhas, das quais diversas consequências refletirão, podem ser boas, ou ruins; certas ou erradas.

Esse é um poema reflexivo, sobre esse tema. Continuar lendo “Poema: O estande”

Poema: O estande

Poema: Messias líquido

Não se cria uma poesia à força. Você não se senta numa cadeira e diz “Agora vou escrever um poema”. É até possível sair algo, mas será algo sem inspiração, pois é a inspiração que faz a poesia. Ficar inspirado é algo que acontece e é preciso ficar atendo, ou toda uma boa ideia pode cair no esquecimento.

Esses momentos ocorrem de maneira aleatória. Estava no meu trabalho quando alguns versos surgiram em minha mente. Eram relacionados à água, chuva. Rapidamente os anotei em um pedaço de papel e tentei parar de pensar no assunto. Só voltei a focar nesses versos quando decidi que eles deveriam se transformar em poesia. Chegou o momento de lapidação da ideia original.

Assim formou-se esse poema, a partir da ideia de que a água é a fonte de nossa vida. Afinal, o que seria de nós sem ela? Continuar lendo “Poema: Messias líquido”

Poema: Messias líquido

POEMA: A CADA DIA

Estou lendo ‘Diário do subsolo’, de Dostoiévski — esse que será o próximo post da sessão “Minhas Leituras”. Não é um livro alegre, nem muito positivo. O autor faz uma análise do subsolo que cada um de nós carrega. O protagonista do livro é muito crítico, passando a ver sua vida como algo banal, sempre com a mesma rotina, se calando, reprimindo suas vontades.

Essa brilhante obra do autor russo é uma das inspirações para esse poema. A vida rotineira que levamos é outra. Vivemos sempre postergando as coisas, dando importância àquilo que não deveria ser importante, deixando de lado o que realmente importa. O Futuro do Pretérito é o tempo verbal que mais conjugamos.

Aviso que esse não é um poema alegre, é até triste. Triste porque diz verdades, e verdades doem na maior parte do tempo. Mais do que tudo, são versos que lhe farão refletir sobre a rotina, sobre nossas ações e escolhas. Foge um pouco dos meus padrões, mas padrões sempre mudam (ou deveriam).

Espero que seja uma poesia que lhe agrade. Continuar lendo “POEMA: A CADA DIA”

POEMA: A CADA DIA

OUTRO LADO ARTÍSTICO

Escrever é uma arte. Considero qualquer tipo de escrita uma arte, o que vai dizer se é boa arte, ou não, é a qualidade do texto. Como qualquer pessoa que visita meu blog pode ver, escrever é algo do qual gosto muito. A escrita é uma arte peculiar, pois quem escreve possui apenas as palavras como ferramenta de trabalho, com a ajuda da imaginação do leitor.

Toda pessoa que desenvolve alguma forma de arte, não fica apenas em uma, apesar de possuir um foco principal, sempre há outra maneira de expressão artística que lhe interessará. É comum ver, por exemplo, atores que são grandes cantores, ou o contrário, entre diversos outros exemplos que poderiam ser citados — o importante aqui é a ideia central do que quero dizer.

Sempre gostei de desenhos animados, principalmente quando eu era criança. Era uma alegria acordar cedo aos sábados para assistir meus personagens favoritos (hoje em dia acordar cedo em um sábado é o pior dos pesadelos). Eu sempre imaginava como os desenhos eram produzidos, como as pessoas faziam para o que era visto na tela se movimentasse. Já na adolescência, aprendi como tudo isso funciona. Meu primeiro contato, após os flip books, foi com o programa Flash, na época pertencente à Macromedia, que foi comprada pela Adobe. Continuar lendo “OUTRO LADO ARTÍSTICO”

OUTRO LADO ARTÍSTICO

POEMA: EVIDENTE

Aqui no blog já escrevi sobre terror, sobre clássicos, já escrevi dicas e fui muito crítico. Nunca escrevi algo sobre o amor, nem algo bonitinho. Por isso decidi postar esse poema, para fugir dos padrões. Já faz algum tempo que o escrevi, porém é a primeira vez que o posto em algum lugar. Não sou só trevas e escuridão, também tem amor nesse coração ❤😂. Espero que goste. Continuar lendo “POEMA: EVIDENTE”

POEMA: EVIDENTE

UMA NOTÍCIA BOA E UMA POESIA

Há dias em que somos surpreendidos por alguma notícia, boa ou ruim. Nessa última semana, quarta-feira (dia 03/05/2017), para ser mais preciso, recebi uma ligação dizendo que minha poesia fora uma das 50 selecionadas no VI Festival de Literatura de Tupã e iria compor um livro, a “Antologia tupãense”. Confesso que na hora fiquei abismado, foi algo inesperado. Escrevi a poesia que enviei ao concurso de maneira despretensiosa, não tinha em mente a ideia de criar uma obra perfeita, a mais bela de todas. Parece que as coisas funcionam dessa maneira: quando você tenta enfeitar demais algo, acaba dando errado, você estraga tudo. Fico feliz por ter feito o oposto e por tudo ter dado certo.
Continuar lendo “UMA NOTÍCIA BOA E UMA POESIA”

UMA NOTÍCIA BOA E UMA POESIA

AS QUESTÕES QUE ESTÃO ALÉM DO ALCANCE DOS NOSSOS OLHOS

O intuito desse título, assim como o do resto do texto, é causar reflexão. Você já parou para pensar que existem questões além do concreto, além daquilo que podemos ver? Quem vive 100% no mundo palpável não compreende nem 10% dele. Sim, porque o mundo concreto e o mundo abstrato coexistem e um não existe sem o outro. Por isso que existem as ciências humanas, pois só as ciências exatas não dariam conta de explicar os fenômenos que nos cercam e fazem parte de nossas vidas, de nossos egos. Por isso que existe a filosofia, a psicologia, os estudos das línguas: para explicar os fenômenos do que estão por trás daquilo que é visível. Continuar lendo “AS QUESTÕES QUE ESTÃO ALÉM DO ALCANCE DOS NOSSOS OLHOS”

AS QUESTÕES QUE ESTÃO ALÉM DO ALCANCE DOS NOSSOS OLHOS