Citações #2

Há um tempo atrás, fiz um post com diversas imagens que continham citações de livros que li, e foi muito bem recebido por quem acompanha o blog. Resolvi escrever sua continuação, afinal as leituras cresceram desde então, como consequência disso, anotei muitas outras citações.

Foi um hábito que iniciei nesse ano, que, além de proporcionar relembrar momentos marcantes de algum livro, também rende algumas frases para a vida, para algum momento, seja por sua mensagem, ou por sua beleza e significado. Continuar lendo “Citações #2”

Anúncios
Citações #2

Novembro e a luz no fim do túnel

Foi mais ou menos dessa forma que vi o mês de novembro. Muita coisa iria melhorar quando esse mês terminasse, e isso estava claro logo em seu início: os trinta dias que estavam por vir seriam duros, porém, ao final, haveria alívio. Último bimestre, últimas provas, trabalhos para serem entregues, estágio se encerrando, prazos apertados.

Dezembro iniciou-se sexta-feira, hoje é domingo, o terceiro dia do mês que encerra o ano. Consigo respirar com mais tranquilidade, afinal estou de férias, ao menos da faculdade, o que já significa uma preocupação a menos. Novembro foi puxado nos estudos, entretanto muito recompensador. O estágio prático, que ocorreu ao longo do ano e encerrou-se em novembro, parte da formação de um psicólogo, foi uma grande experiência. Tive uma ótima supervisora, grande conhecedora das técnicas da Análise do Comportamento. Aprendi muito com ela e com os atendimentos práticos. Passei a conversar com pessoas da minha sala com as quais eu não possuía um grande contanto, pois tornaram-se meus colegas de supervisão.

Apesar da correria, não deixei o blog de lado e mantive as postagens constantes, algo que gosto muito. Espero, nesses dois meses de férias, criar posts mais interessantes. Sem outras preocupações e com mais tempo livre para escrever e pensar, acho que isso será possível. Ademais, espero ler ainda mais nessas férias, hábito que mantive em novembro. Em geral, foram livros mais curtos, por conta da escassez de tempo, porém tamanho não quer dizer qualidade. Uma obra pode dizer muito em poucas páginas, isso depende da habilidade do escritor.

Seguindo um outro hábito, vamos ao ranking do mês de novembro! Continuar lendo “Novembro e a luz no fim do túnel”

Novembro e a luz no fim do túnel

Minhas Leituras #42: Medo clássico – Edgar Allan Poe

 

Título: Medo clássico, v. 1
Autor: Edgar Allan Poe
Editora: Darkside Books
Ano: 2017
Páginas: 384
Tradução: Marcia Heloisa
Veja o livro no site da editora: http://www.darksidebooks.com.br/edgar-allan-poe-medo-classico/

“Àqueles que sonham de dia, é dado a conhecer muito do que escapa aos que sonham apenas à noite”. (POE, Edgar Allan. Eleonora. In: Medo Clássico. Darkside Books, 2017, p. 263)

Inspiração para diversos autores, como H. P. Lovecraft, Stephen King e Neil Gaiman, Edgar Allan Poe ajudou a consolidar diversos gêneros literários e criou uma legião de leitores amantes do horror e do mistério. Dentre sua vasta produção de contos, a editora Darkside Books selecionou 15 e os organizou em uma bela edição, digna à importância desse grande autor. Continuar lendo “Minhas Leituras #42: Medo clássico – Edgar Allan Poe”

Minhas Leituras #42: Medo clássico – Edgar Allan Poe

Outubro corrido

Chegamos ao penúltimo mês do ano, por incrível que pareça, já estamos em novembro! No início de 2017, achava que não seria tão rápido, porém, sempre que nos aproximamos do fim, temos esse tipo de percepção, de que o tempo passou depressa. Entretanto, não acho que outubro passou tão rápido assim, nessa loucura que são as percepções, na minha, foi um tempo proporcional, nem rápido, nem devagar.

Posso dizer que foi um mês corrido, com muitos prazos e muitos trabalhos; todos sanados e cumpridos, para o bem do meu sossego. Escrevi dois trabalhos acadêmicos para serem apresentados em eventos, um na faculdade onde estudo, outro para ser apresentado em uma universidade de uma cidade próxima. Este último foi uma experiência boa e construtiva, eu não havia participado de um evento semelhante até então. A apresentação onde estudo será na próxima semana, a ansiedade bate, mas o trabalho já está feito, corrigido e entregue. No fim de tudo, é um sentimento muito bom o que fica, um misto de orgulho, dever cumprido e alegria. Continuar lendo “Outubro corrido”

Outubro corrido

Psicologia, medo e ansiedade

Dia das Bruxas e medo caminham juntos. Quem é que nunca sentiu medo na vida? Este texto traz uma explicação sobre o sentimento de medo, na visão da psicologia comportamental.

O medo e a ansiedade são, muitas vezes, considerados sinônimos, entretanto o que os diferencia é a presença ou ausência de estímulos desencadeadores externos e o comportamento de evitação. Quando o desencadeador externo que provoca comportamento de fuga ou evitação é óbvio, considera-se medo; já a ansiedade é um estado emocional aversivo, sem desencadeadores claros, que não podem ser evitados.

As teorias das emoções consideram o medo uma emoção básica, presente em todas as idades, culturas, etnias e espécies; a ansiedade seria uma mistura de emoções, sendo o medo a predominante. Além disso, a ansiedade pode incluir tristeza, vergonha, culpa, ou cólera, curiosidade, interesse ou excitação. Continuar lendo “Psicologia, medo e ansiedade”

Psicologia, medo e ansiedade

Citações

Algumas frases com as quais nos deparamos no decorrer de uma leitura são marcantes, fixam-se em nossa mente. Pode ser uma passagem mais filosófica do narrador, a fala de uma personagem, enfim, é possível retirar alguma citação interessante de qualquer livro, mesmo que seja apenas uma frase de efeito.

Como ávido leitor que sou, sempre separo citações que acho interessante enquanto vou lendo. É um bom meio de se lembrar do livro posteriormente, de suas partes mais marcantes, além de eu também utilizá-las no post que faço sobre a obra logo após finalizar a leitura. Essa é uma maneira de mostrar algo do livro para quem ainda não o conhece, pois todo livro, mesmo que seja um muito ruim, sempre possui uma passagem atrativa.

Nas minhas redes sociais (me segue lá!), costumo compartilhar imagens com citações das obras que leio, como uma forma mais atrativa de divulgar o post. Separei algumas e estou inserindo-as aqui. Caso goste e queira utilizar a imagem, fique à vontade.

Ah! Se alguma imagem chamar sua atenção, saiba que existe um post aqui no blog sobre o livro, dê uma rápida busca e o encontrará!

Para uma melhor visualização, clique nas imagem para ampliá-las. Continuar lendo “Citações”

Citações

Minhas Leituras #38: A hora do lobisomem – Stephen King

Título: A hora do lobisomem
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2017
Páginas: 152
Tradução: Regiane Winarski
Veja o livro no site da editora: https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=28000431

“Cuidado com a Besta, pois ela pode sorrir e dizer que é sua vizinha, mas, ah irmãos, os dentes são afiados, e é possível perceber a inquietação no movimento dos olhos dela. Ela é a Besta e está aqui, agora, em Tarker’s Mills” (KING, Stephen. A hora do lobisomem. Suma de Letras, 2017, p. 48)

Ao longo de sua carreira, Stephen King já escreveu sobre quase todo tipo de monstro. Como o título indica, no presente livro ele vai nos contar uma história de lobisomem, uma criatura muito explorada na literatura e, principalmente, no cinema. A hora dele é aqui, e é agora! Preparado para enfrentar essa Besta devoradora de carne humana? Continuar lendo “Minhas Leituras #38: A hora do lobisomem – Stephen King”

Minhas Leituras #38: A hora do lobisomem – Stephen King

Setembro árduo

O ano de 2017 caminha cada vez mais rápido para o seu fim. Setembro terminou, e deu-se início ao mês das bruxas (graças à cultura importada). Outubro é o mês de muita coisa, tudo depende da pessoa: pode ser o mês da criança, dia 12 (que virou uma data comercial), quem é católico comemorará o Dia de Nossa Senhora Aparecida, no mesmo dia 12 (uma tristeza, pois é o dia do aniversário de minha cidade, Tupã-SP, ou seja, dois feriados no mesmo dia). 😔

Enfim, o mês está apenas começando e ainda possui 31 dias para muita coisa mudar e acontecer. Vamos falar sobre setembro, um mês que me foi muito desgastante, porém bom, pois nada de ruim me ocorreu, não tenho motivo para reclamar. A razão do título do post se deve às duas últimas semanas, que trouxeram uma nova prova a cada dia. Semana de prova na faculdade não é mole, ainda mais por eu trabalhar. O tempo se mostrou apertado para lidar com os estudos, o trabalho, estágio, leituras, posts do blog, mas, como naqueles romances água com açúcar, tudo terminou bem no final. Até consegui escrever um trabalho para um Congresso, o que vai me ajudar muito no estágio! Tenho a leve impressão de que consigo ser mais produtivo sob pressão do tempo. O ser humano consegue se virar muito bem quando a situação aperta, somos versáteis. 💪 Continuar lendo “Setembro árduo”

Setembro árduo

IT, A COISA – O LIVRO E O FILME

Na última sexta-feira, fui ao cinema assistir esse filme, que após várias mudanças de diretor e de projeto e uma grande campanha de marketing (ano passado havia uma onda de palhaços assassinos nos EUA, por exemplo), acabou gerando muita expectativa, se tornando o filme de terror mais aguardado do ano. Dirigido por Andy Muschietti, conhecido pelo filme ‘Mama’ (2013), e que, agora, passará a ser conhecido por ser o diretor de ‘It, a coisa’, de tão bom que o filme ficou.

O livro, uma das obras mais conhecidas e aclamadas de Stephen King é um calhamaço com mais de mil páginas e fora adaptado para uma minissérie de TV em 1991, porém nunca para o cinema, até então. Não sou a Ju Orosco, que faz grandes resenhas sobre filmes, porém vou deixar aqui minha impressão sobre o que assisti e, sendo um grande fã de King e por já ter lido a obra na qual a película se baseou, fazer uma comparação entre livro e filme. Continuar lendo “IT, A COISA – O LIVRO E O FILME”

IT, A COISA – O LIVRO E O FILME

POEMA: OLHE DEBAIXO DA CAMA

Um dos gêneros literários que mais gosto é o Terror. Livros que mexem com o imaginário, com os medos mais inconscientes. Acredito que atingir esse objetivo na literatura não deve ser algo fácil, é preciso muita criatividade e usar bem as palavras. Pensando nisso, resolvi escrever um poema voltado ao terror, com uma história sobre algo desconhecido, que persegue o narrador e que não pode ser visto. O desconhecido é sempre aterrorizante.

Será possível um poema causar medo? Continuar lendo “POEMA: OLHE DEBAIXO DA CAMA”

POEMA: OLHE DEBAIXO DA CAMA