Minhas Leituras #42: Medo clássico – Edgar Allan Poe

 

Título: Medo clássico, v. 1
Autor: Edgar Allan Poe
Editora: Darkside Books
Ano: 2017
Páginas: 384
Tradução: Marcia Heloisa
Veja o livro no site da editora: http://www.darksidebooks.com.br/edgar-allan-poe-medo-classico/

“Àqueles que sonham de dia, é dado a conhecer muito do que escapa aos que sonham apenas à noite”. (POE, Edgar Allan. Eleonora. In: Medo Clássico. Darkside Books, 2017, p. 263)

Inspiração para diversos autores, como H. P. Lovecraft, Stephen King e Neil Gaiman, Edgar Allan Poe ajudou a consolidar diversos gêneros literários e criou uma legião de leitores amantes do horror e do mistério. Dentre sua vasta produção de contos, a editora Darkside Books selecionou 15 e os organizou em uma bela edição, digna à importância desse grande autor. Continuar lendo “Minhas Leituras #42: Medo clássico – Edgar Allan Poe”

Anúncios
Minhas Leituras #42: Medo clássico – Edgar Allan Poe

Outubro corrido

Chegamos ao penúltimo mês do ano, por incrível que pareça, já estamos em novembro! No início de 2017, achava que não seria tão rápido, porém, sempre que nos aproximamos do fim, temos esse tipo de percepção, de que o tempo passou depressa. Entretanto, não acho que outubro passou tão rápido assim, nessa loucura que são as percepções, na minha, foi um tempo proporcional, nem rápido, nem devagar.

Posso dizer que foi um mês corrido, com muitos prazos e muitos trabalhos; todos sanados e cumpridos, para o bem do meu sossego. Escrevi dois trabalhos acadêmicos para serem apresentados em eventos, um na faculdade onde estudo, outro para ser apresentado em uma universidade de uma cidade próxima. Este último foi uma experiência boa e construtiva, eu não havia participado de um evento semelhante até então. A apresentação onde estudo será na próxima semana, a ansiedade bate, mas o trabalho já está feito, corrigido e entregue. No fim de tudo, é um sentimento muito bom o que fica, um misto de orgulho, dever cumprido e alegria. Continuar lendo “Outubro corrido”

Outubro corrido

Minhas Leituras #39: O sorriso da hiena – Gustavo Ávila

Título: O sorriso da hiena
Autor: Gustavo Ávila
Editora: Verus
Ano: 2017
Páginas: 266
Veja o livro no site da editora: http://www.record.com.br/livro_sinopse.asp?id_livro=29716

“— Pelo menos você está perguntando o que há de tão errado neste mundo. A maioria de nós não diz nada pra não correr o risco de se incriminar depois por ter tomado partido”. (ÁVILA, Gustavo. O sorriso da hiena. Verus Editora, 2017, p. 42)

O mercado editorial brasileiro está repleto de thrillers, histórias policiais, de suspense. Porém, a enorme maioria dos livros desse gênero, aqui publicados, são de origem internacional. Gustavo Ávila faz parte de uma nova safra de escritores nacionais que, aos poucos, estão mudando essa situação. Continuar lendo “Minhas Leituras #39: O sorriso da hiena – Gustavo Ávila”

Minhas Leituras #39: O sorriso da hiena – Gustavo Ávila

OS MELHORES DE MAIO

Mais um mês se iniciou para nós, seres cronológicos, termos mais alguns dias para contabilizar semanas, meses e anos; uma rotina que nos move, querendo ou não. Junho começou bem por aqui, fazendo um pouquinho de frio, um clima muito gostoso, ainda mais com as festas juninas se aproximando, não se poderia querer nada melhor. Porém, o assunto do post é outro: é o mês de maio!

Como maio foi, na sua opinião, caro leitor? Espero que tenha sido excelente, porque assim o foi para mim. Apesar da correria com meu trabalho e com a faculdade, que está me levando ao limite da pontualidade, considero que foram ótimos trinta e um dias. Posso levantar vários pontos para sustentar minha afirmação: consegui ser pontual com os trabalhos da faculdade e com o estágio, tudo vai bem em meu emprego, o blog nunca teve tantos visitantes quanto agora, nada de ruim me aconteceu. Uma eventualidade ou outra sempre aparece, mas temos que focar nas coisas boas, as ruins estão aí para serem superadas, são partes intrínsecas da vida, afinal.

Um outro ponto positivo do mês do trabalhador foi o de que fora produtivo para a leitura e para a produção aqui do blog. Consegui fazer três posts semanais, o que foi muito desafiador e gratificante. E como falo muito de literatura por aqui, dou início à uma nova sessão de posts: todo começo de mês irei fazer um ranking das melhores leituras do mês anterior! Temos quatro concorrentes esse mês: ‘As aventuras de Huckleberry Finn’, de Mark Twain; ‘As travessuras da menina má’, de Mário Vargas Llosa; ‘Caixa de pássaros’, de Josh Malerman; e ‘Nós’, de Ievguêni Zamiátin. Dessa forma, lhe apresento as melhores leituras de maio! Continuar lendo “OS MELHORES DE MAIO”

OS MELHORES DE MAIO

MINHAS LEITURAS #20: CAIXA DE PÁSSAROS – JOSH MALERMAN

Título: Caixa de pássaros
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 272
Tradução: Carolina Selvatici
Veja o livro no site da editora: http://www.intrinseca.com.br/livro/460/

Num mundo onde não podemos abrir os olhos, uma venda não é tudo que temos para nos defender? (MALERMAN, Josh. Caixa de pássaros. Intrínseca, 2015, p. 93)

A editora Intrínseca trouxe para o Brasil, em 2015, o livro de estreia do autor Josh Malerman, que é vocalista da banda The High Strung, além de escritor. Seu primeiro livro fez um sucesso estrondoso nos EUA, em 2014, sendo considerado um dos melhores livros do ano, recebendo muitos elogios e críticas positivas dos mais diversos sites especializados. A revista Publishers Weekly afirmou que fãs de Stephen King iriam adorar a obra de Malerman. Com tantos pontos positivos assim, com todo esse hype, espera-se um livro incrível, marcante. Porém o que se encontra é um suspense mediano, uma ideia muito boa, mas pouco desenvolvida; muito longe de ser comparado a Stephen King. Continuar lendo “MINHAS LEITURAS #20: CAIXA DE PÁSSAROS – JOSH MALERMAN”

MINHAS LEITURAS #20: CAIXA DE PÁSSAROS – JOSH MALERMAN

MEMÓRIAS DO MEDO

Por Alan Martins

Todos nós temos momentos que marcaram nossa vida de certa forma. Minha longa caminhada nesse mundo foi marcada por incontáveis momentos desse tipo, e hoje carrego as cicatrizes em forma de lembrança.

Há muito venho cozinhando a ideia de escrever algumas histórias que a vida me proporcionou; ao menos aquelas das quais consigo me lembrar, pois assim como a visão, a mente também perde sua nitidez com o tempo. Para um velho, aventurar-se na sala escura que é a mente idosa é como uma pessoa com hipermetropia tentar ler um livro sem óculos. Continuar lendo “MEMÓRIAS DO MEDO”

MEMÓRIAS DO MEDO