Minhas Leituras #76: A máquina do tempo – H. G. Wells

“Um clássico em edição repaginada”

Título: A máquina do tempo
Autor: H. G. Wells
Editora: Suma
Ano: 2018
Páginas: 176
Tradução: Braulio Tavares
Encontre este livro na Amazon: https://amzn.to/2KDActG

“Não existe inteligência onde não existe mudança ou a necessidade de mudança.” (WELLS, H. G. A máquina do tempo. Suma, 2018, p. 128)

Em seu primeiro romance publicado, H. G. Wells já demonstrou o motivo de ter se tornado um autor clássico da ficção científica, apresentando um livro criativo, mas com sinais da pouca experiência de um iniciante. Continuar lendo “Minhas Leituras #76: A máquina do tempo – H. G. Wells”

Anúncios
Minhas Leituras #76: A máquina do tempo – H. G. Wells

Minhas Leituras #73: O tempo desconjuntado – Philip K. Dick

“Você já desconfiou da própria realidade?”

Título: O tempo desconjuntado
Autor: Philip K. Dick
Editora: Suma
Ano: 2018
Páginas: 272
Tradução: Braulio Tavares
Encontre este livro na Amazon: https://amzn.to/2xYIUga

“De qualquer modo, por piores que sejam alguns livros, não são tão ruins quanto aqueles filmes de sexo para adolescentes, sobre corridas de carros, filmes do tipo James Dean e tudo o mais.” (DICK, Philip K. O tempo desconjuntado. Suma, 2018, p. 11)

Publicado pela primeira vez no Brasil, ‘O tempo desconjuntado’ explora os limites da realidade, fazendo o leitor se questionar sobre a concretude de sua percepção acerca do mundo que o cerca. Continuar lendo “Minhas Leituras #73: O tempo desconjuntado – Philip K. Dick”

Minhas Leituras #73: O tempo desconjuntado – Philip K. Dick

Minhas Leituras #68: A assombração da Casa da Colina – Shirley Jackson

“Rainha do terror? Sério?”

Título: A assombração da Casa da Colina
Autor: Shirley Jackson
Editora: Suma
Ano: 2018
Páginas: 240
Tradução: Débora Landsberg
Encontre o livro na Amazon: https://amzn.to/2sAOakc

“Nenhum organismo vivo pode existir muito tempo com sanidade sob condições de realidade absoluta […]” (JACKSON, Shirley. A assombração da Casa da Colina. Editora Suma, 2018, p. 7)

Em um de seus livros mais conhecidos, Shirley Jackson apresenta uma história de casa mal-assombrada. Será que dá medo? Continue lendo para saber! Continuar lendo “Minhas Leituras #68: A assombração da Casa da Colina – Shirley Jackson”

Minhas Leituras #68: A assombração da Casa da Colina – Shirley Jackson

Minhas Leituras #65: A incendiária – Stephen King

“Stephen King mostrando que não escreve apenas terror”

Título: A incendiária
Autor: Stephen King
Editora: Suma
Ano: 2018
Páginas: 450
Tradução: Regiane Winarski
Encontre o livro na Amazon: https://amzn.to/2jZYTkk

“[…] quando estamos em uma situação ruim, às vezes é preciso fazer coisas que nós nunca faríamos se as coisas estivessem bem.” (KING, Stephen. A incendiária. Suma, 2018, p. 107)

Após um início de carreira arrebatador, com obras puramente de terror, Stephen King escreveu três livros, em sequência, que fogem desse padrão, sendo, na realidade, livros de suspense. ‘A incendiária’ é um deles. Continuar lendo “Minhas Leituras #65: A incendiária – Stephen King”

Minhas Leituras #65: A incendiária – Stephen King

Minhas Leituras #53: Sempre vivemos no castelo – Shirley Jackson

Título: Sempre vivemos no castelo
Autor: Shirley Jackson
Editora: Suma de Letras
Ano: 2017
Páginas: 200
Tradução: Débora Landsberg
Encontre este livro na Amazon: https://amzn.to/2LcWpLP

“Meu nome é Mary Katherine Blackwood. Tenho dezoito anos e moro com minha irmã Constance. Volta e meia penso que se tivesse sorte teria nascido lobisomem, porque os dois dedos médios das minhas mãos são do mesmo tamanho, mas tenho de me contentar com o que tenho.” (JACKSON, Shirley. Sempre vivemos no castelo. Suma de Letras, 2017, p. 7)

Último livro publicado de uma das maiores escritoras estadunidenses do século XX, ‘Sempre vivemos no castelo’ apresenta uma trama confusa e aparentemente sem um sentido principal, porém, no meio dessa confusão toda, a obra aborda algumas questões delicadas, de maneira bem sutil. Continuar lendo “Minhas Leituras #53: Sempre vivemos no castelo – Shirley Jackson”

Minhas Leituras #53: Sempre vivemos no castelo – Shirley Jackson

5 livros ‘diferentões’

O livro é um objeto que não tem muito segredo: é um produto feito, simplesmente, de papel e tinta. Os formatos podem variar: capa dura, brochura, com orelha, sem orelha, edição de bolso, página em papel branco, off-white. Como eu disse, não há muito segredo, os livros seguem um padrão e são quase todos iguais (esteticamente).

Fugir do padrão é bom e os marqueteiros sempre procuram se reinventar. Um livro é um produto, que visa o lucro e, para isso, precisa ser vendido. Muitas editoras têm investido pesado em marketing, e esse investimento se reflete em seus produtos.

Existem muitos livros que fogem do padrão, por detalhes às vezes mínimos, mas que podem fazer muita diferença numa prateleira, na hora de chamar a atenção do consumidor. Como consequência, tornam-se itens curiosos para quem é apaixonado pela literatura.

Sendo assim, apresento alguns exemplos de livros “diferentões”, com alguma característica não muito comum. Veja só que edições curiosas: Continuar lendo “5 livros ‘diferentões’”

5 livros ‘diferentões’

Outubro corrido

Chegamos ao penúltimo mês do ano, por incrível que pareça, já estamos em novembro! No início de 2017, achava que não seria tão rápido, porém, sempre que nos aproximamos do fim, temos esse tipo de percepção, de que o tempo passou depressa. Entretanto, não acho que outubro passou tão rápido assim, nessa loucura que são as percepções, na minha, foi um tempo proporcional, nem rápido, nem devagar.

Posso dizer que foi um mês corrido, com muitos prazos e muitos trabalhos; todos sanados e cumpridos, para o bem do meu sossego. Escrevi dois trabalhos acadêmicos para serem apresentados em eventos, um na faculdade onde estudo, outro para ser apresentado em uma universidade de uma cidade próxima. Este último foi uma experiência boa e construtiva, eu não havia participado de um evento semelhante até então. A apresentação onde estudo será na próxima semana, a ansiedade bate, mas o trabalho já está feito, corrigido e entregue. No fim de tudo, é um sentimento muito bom o que fica, um misto de orgulho, dever cumprido e alegria. Continuar lendo “Outubro corrido”

Outubro corrido

5 livros infantis que todo adulto deveria conhecer

Existem diversos tipos de livros no mercado, um mundo de gêneros e subgêneros. Há sempre um que vai te agradar, afinal as editoras precisam de vendas, e, quanto mais diversificado for seu catálogo, um público mais amplo será atingido, aumentando as vendas como consequência.

Quando o autor escreve um livro, ele possui um público alvo em mente: será para crianças, adultos, adolescentes? Ele deve ter consciência disso, pois o tipo de linguagem utilizado para cada público é diferente. Não se utiliza as mesmas expressões de um livro adulto em um infantil; se isso ocorrer, as crianças não vão entender muita coisa da história.

Entretanto, existem autores muito inteligentes, que conseguem criar mundos e personagens que agradarão a quase todos. Mesmo que o livro seja destinado a crianças, um adulto também será capaz de apreciá-lo, pois há algo ali que chama sua atenção.

Há, também, aqueles autores que deixam algo nas entrelinhas, que apenas um adulto seria capaz de compreender. Pensando nisso, tendo em mente que 12 de outubro é o Dia das Crianças, apresento uma lista com 5 livros infantis capazes (e certamente irão) de agradar adultos. Mesmo que tenham sido escritos para crianças, esses livros apenas poderão ter seu conteúdo aproveitado ao máximo por um adulto, ou alguém mais instruído. Ah, e, principalmente, são livros que despertam a criança interior que reside dentro de cada um de nós. Continuar lendo “5 livros infantis que todo adulto deveria conhecer”

5 livros infantis que todo adulto deveria conhecer

Minhas Leituras #38: A hora do lobisomem – Stephen King

Título: A hora do lobisomem
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2017
Páginas: 152
Tradução: Regiane Winarski
Veja o livro no site da editora: https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=28000431

“Cuidado com a Besta, pois ela pode sorrir e dizer que é sua vizinha, mas, ah irmãos, os dentes são afiados, e é possível perceber a inquietação no movimento dos olhos dela. Ela é a Besta e está aqui, agora, em Tarker’s Mills” (KING, Stephen. A hora do lobisomem. Suma de Letras, 2017, p. 48)

Ao longo de sua carreira, Stephen King já escreveu sobre quase todo tipo de monstro. Como o título indica, no presente livro ele vai nos contar uma história de lobisomem, uma criatura muito explorada na literatura e, principalmente, no cinema. A hora dele é aqui, e é agora! Preparado para enfrentar essa Besta devoradora de carne humana? Continuar lendo “Minhas Leituras #38: A hora do lobisomem – Stephen King”

Minhas Leituras #38: A hora do lobisomem – Stephen King

5 LIVROS COM CAPAS RUINS

Dizer que não se deve julgar um livro pela capa é um grande clichê, porém alguns clichês tendem a ser reais. Esse é um deles. Não é culpa do autor se os designers de sua editora escolheram uma capa de gosto duvidoso para sua obra.

As capas dos livros são um chamativo para o leitor, o possível comprador. Elas devem ser bonitas, possuir uma arte que deixe quem as vê curioso. Para um autor famoso, talvez uma capa ruim não faça diferença, pois o que mais chamará atenção é o seu nome estampado, não o design em si. Mas para um autor iniciante, uma boa capa pode fazer toda a diferença.

Podemos dizer que as capas evoluíram muito com os anos. Cada vez mais as editoras investem nessa etapa da produção de um livro. Trata-se de empresas que visam o lucro acima de tudo, afinal, sem o dinheiro não possuem condições para continuar funcionando. Isso mostra que as capas são uma parte importante na venda de um livro.

Claro que a capa não quer dizer nada, elas tentam transmitir algo da narrativa, porém não dizem nada a respeito da qualidade da prosa que estão protegendo. Nesse post, vou sim julgar o livro pela capa; entretanto vou julgar a qualidade da escolha da capa, não seu conteúdo, muito menos a escrita do autor. Para quem gosta de livros, a capa não importa muito, mas é legal possuir uma edição bonita na estante.

Vamos para a lista! Continuar lendo “5 LIVROS COM CAPAS RUINS”

5 LIVROS COM CAPAS RUINS