Minhas Leituras #57: Memórias da casa dos mortos – Fiódor Dostoiévski

“A sangrenta realidade de um presídio russo do século XIX”

Título: Memórias da casa dos mortos
Autor: Fiódor Dostoiévski
Editora: Martin Claret
Ano: 2016
Páginas: 334
Tradução: Oleg Almeida
Veja o livro no site da editora: http://martinclaret.com.br/livro/memorias-da-casa-dos-mortos/

“Qualquer pessoa, seja ela quem for e por mais humilhada que esteja, vem a exigir, embora por mero instinto, embora inconscientemente, que respeitem sua dignidade humana.” (DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Memórias da casa dos mortos. Martin Claret, 2016, p. 136)

Baseando-se em experiências pessoais, Dostoiévski apresentou ao mundo como funcionava o sistema carcerário do Império Russo durante boa parte do século XIX, neste livro narrado pela perspectiva de um ex-detento. Continuar lendo “Minhas Leituras #57: Memórias da casa dos mortos – Fiódor Dostoiévski”

Anúncios
Minhas Leituras #57: Memórias da casa dos mortos – Fiódor Dostoiévski

Citações #4

Minhas últimas leituras se revelaram boas e medianas; gostei muito de alguns livros, mas nem tanto de outros. Também foram diversificadas, sem me prender a um gênero em específico. Porém, há algo em comum entre todas: citações interessantes.

Por mais chato que um livro possa parecer (às vezes não faz nosso tipo), sempre existe algo de bom a ser extraído a partir de sua leitura. Alguma frase que marcou, alguma sabedoria, palavras inteligentes.

Continuando com a série de posts, que já se encontra em sua quinta edição, apresento algumas citações retiradas dos últimos livros que li. Apresentar em forma de imagem é mais interessante do que em simples forma de texto, além de poder ser compartilhada mais facilmente (sinta-se à vontade se quiser compartilhar essas imagens em suas redes socais). Dessa vez temos livros de terror, filosofia, clássicos e mistério. Um leque misto, com o qual espero incitar a curiosidade e a vontade de conhecer um novo livro, um novo autor e um novo mundo! Continuar lendo “Citações #4”

Citações #4

E tudo começou, outra vez

Fevereiro, para quem é aluno/universitário, significa início de aulas. O começo é difícil, as férias nos deixam desacostumados, fora de forma. Mas, saber que esse é o meu último ano de faculdade me anima a continuar com força total (espero estar pensando assim daqui três meses).

Dizem que o ano começa após fevereiro; não sei. Sei que depois vem mais trabalho, até porque há como descansar um pouco em fevereiro, o mês do carnaval. Março significa estágio, a vida volta a ficar corrida.

O menor mês do ano trouxe boas leituras e bons índices para o blog, um bom início de ano. A frequência de postagens manteve-se, o conteúdo está bem diversificado, parece que está no caminho certo. Mas, falando em leitura, como virou costume por aqui, vamos ao ranking do mês de fevereiro. Tem alguma ideia de qual livro ficou em primeiro lugar? Continue lendo e descubra! Continuar lendo “E tudo começou, outra vez”

E tudo começou, outra vez

Entrevista com o poeta e tradutor Oleg Almeida

“Só lendo e refletindo é que terão uma opinião consciente e independente”

O poeta e tradutor Oleg Almeida
Imagem cedida pelo autor.

A vida de blogueiro reserva muitas surpresas. Uma delas (e uma muito boa) foi “topar” com o tradutor de um livro que resenhei. Isso não é algo que acontece todo dia!

Estou falando de Oleg Almeida, bielorrusso que vive no Brasil desde 2005, autor de livros de poesia (escrevendo em português!), além de tradutor. Ele é muito conhecido por suas traduções de obras russas, vertidas diretamente dos originais. Todos sabemos que a história da literatura russa, no Brasil, é marcada por traduções indiretas, fato que Oleg vem ajudando a modificar. Esse é apenas um dos temas dessa entrevista, que ficou uma verdadeira aula sobre tradução, literatura russa e poesia.

Confira como ficou nossa conversa: Continuar lendo “Entrevista com o poeta e tradutor Oleg Almeida”

Entrevista com o poeta e tradutor Oleg Almeida

Minhas Leituras #52: Crime e castigo – Fiódor Dostoiévski

Título: Crime e castigo
Autor: Fiódor Dostoiévski
Editora: Martin Claret
Ano: 2013
Páginas: 596
Tradução: Oleg Almeida
Veja o livro no site da editora: http://martinclaret.com.br/livro/crime-e-castigo-2/

“Detalhes, detalhes são importantes!… São justamente esses detalhes que sempre põem tudo a perder…” (DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Crime e Castigo. Martin Claret, 2013, p. 47)

Ao lado de ‘Os irmãos Karamázov’, ‘Crime e castigo’ possui a fama de ser a obra-prima de Dostoiévski. Considerado um dos maiores clássicos da literatura russa, esse livro é muito mais do que um romance psicológico, trata-se, também, de uma forte crítica à diversas teorias e filosofias que floresceram durante o século XIX. Continuar lendo “Minhas Leituras #52: Crime e castigo – Fiódor Dostoiévski”

Minhas Leituras #52: Crime e castigo – Fiódor Dostoiévski

Citações

Algumas frases com as quais nos deparamos no decorrer de uma leitura são marcantes, fixam-se em nossa mente. Pode ser uma passagem mais filosófica do narrador, a fala de uma personagem, enfim, é possível retirar alguma citação interessante de qualquer livro, mesmo que seja apenas uma frase de efeito.

Como ávido leitor que sou, sempre separo citações que acho interessante enquanto vou lendo. É um bom meio de se lembrar do livro posteriormente, de suas partes mais marcantes, além de eu também utilizá-las no post que faço sobre a obra logo após finalizar a leitura. Essa é uma maneira de mostrar algo do livro para quem ainda não o conhece, pois todo livro, mesmo que seja um muito ruim, sempre possui uma passagem atrativa.

Nas minhas redes sociais (me segue lá!), costumo compartilhar imagens com citações das obras que leio, como uma forma mais atrativa de divulgar o post. Separei algumas e estou inserindo-as aqui. Caso goste e queira utilizar a imagem, fique à vontade.

Ah! Se alguma imagem chamar sua atenção, saiba que existe um post aqui no blog sobre o livro, dê uma rápida busca e o encontrará!

Para uma melhor visualização, clique nas imagem para ampliá-las. Continuar lendo “Citações”

Citações

O AGOSTO QUE PASSOU DEPRESSA

Chegamos aos meses “bros”, o que significa que o ano está a alguns passos de seu fim. É até meio assustador pensar nisso! Pode parecer clichê, ou conversa de velho, mas a sensação é a de que o ano começou ontem. Quando estamos sempre correndo, cheios de coisas para fazer, o tempo passa mais rápido, a tal da relatividade.

Minhas aulas recomeçaram há pouco tempo, e mais uma rodada de provas está batendo à porta (isso sim é aterrorizante!). Olha, se você deseja fazer algo, se possui algum plano, trate de executá-lo logo, caso deseje fazê-lo ainda em 2017. Muita gente diz que agosto é o mês do “desgosto”, por ser um mês longo (31 dias), sem nenhum feriado, entretanto, mal o vi passar dessa vez. O frio chegou rápido e foi embora tão rápido quanto; o calor já veio com força por aqui. Estou com a leve impressão de que os dias não foram suficientes. Acredito que isso seja positivo, pois quer dizer que agosto foi produtivo.

Para ser sincero, foi sim um mês muito produtivo. Agosto foi o mês com o maior número de visualizações até o momento. Devo isso a você que acompanha o blog todos os dias, a cada post (sei que há pessoas que gravaram os dias e os horários das postagens; um abraço a você!). Outro fator importante para o bom número de visualizações foi a Editora Martin Claret, que compartilhou meu post sobre o livro ‘Diário do subsolo’ no Facebook — livro editado pela mesma. Fiquei muito feliz com esse reconhecimento! 😊

A frequência de postagens se manteve. Foram diversos poemas e artigos em agosto. E claro, as leituras também estiveram presentes. Consegui ler quatro livros, quase todos clássicos da literatura. Um bom mês para as leituras.

Como faço em todo início de mês, apresento aqui o ranking das leituras. E aí, curioso para saber quem foi o campeão do mês? Continuar lendo “O AGOSTO QUE PASSOU DEPRESSA”

O AGOSTO QUE PASSOU DEPRESSA

MINHAS LEITURAS #31: DIÁRIO DO SUBSOLO – FIÓDOR DOSTOIÉVSKI

Título: Diário do subsolo
Autor: Fiódor Dostoiévski
Editora: Martin Claret
Ano: 2012
Páginas: 144
Tradução: Oleg Almeida
Veja o livro no site da editora: http://martinclaret.com.br/livro/diario-do-subsolo/

“[…] caso o homem fosse mesmo uma tecla de piano, caso o provassem mesmo, por meio das ciências naturais e da matemática, nem assim ele mudaria de ideia, mas propositalmente faria algo contrário, apenas por ingratidão, para impor a sua opinião”. (DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Diário do subsolo. Martin Claret, 2012, p. 45)

Dostoiévski foi um dos maiores autores do século XIX. Está entre os grandes nomes da literatura russa, assim como da literatura mundial. ‘Diário do subsolo’ (1864) pode não ser sua obra mais conhecida, porém isso não retira sua importância, muito menos diminui sua grandeza. Essa novela, com tons filosóficos, narra a história de um homem que vive no subsolo, mas não estamos falando de um espaço físico, trata-se do subsolo da alma. Continuar lendo “MINHAS LEITURAS #31: DIÁRIO DO SUBSOLO – FIÓDOR DOSTOIÉVSKI”

MINHAS LEITURAS #31: DIÁRIO DO SUBSOLO – FIÓDOR DOSTOIÉVSKI