POEMA: A CADA DIA

Estou lendo ‘Diário do subsolo’, de Dostoiévski — esse que será o próximo post da sessão “Minhas Leituras”. Não é um livro alegre, nem muito positivo. O autor faz uma análise do subsolo que cada um de nós carrega. O protagonista do livro é muito crítico, passando a ver sua vida como algo banal, sempre com a mesma rotina, se calando, reprimindo suas vontades.

Essa brilhante obra do autor russo é uma das inspirações para esse poema. A vida rotineira que levamos é outra. Vivemos sempre postergando as coisas, dando importância àquilo que não deveria ser importante, deixando de lado o que realmente importa. O Futuro do Pretérito é o tempo verbal que mais conjugamos.

Aviso que esse não é um poema alegre, é até triste. Triste porque diz verdades, e verdades doem na maior parte do tempo. Mais do que tudo, são versos que lhe farão refletir sobre a rotina, sobre nossas ações e escolhas. Foge um pouco dos meus padrões, mas padrões sempre mudam (ou deveriam).

Espero que seja uma poesia que lhe agrade. Continuar lendo “POEMA: A CADA DIA”

POEMA: A CADA DIA

POEMA: BLOGOSFERA

Ser blogueiro é uma tarefa que exige paciência. Tudo começa devagar, é preciso perseverança para seguir em frente. Por isso pode ser frustrante no início. Mas com o tempo, isso muda. Passamos a conhecer outras pessoas, blogueiros assim como nós, que também decidiram seguir esse caminho.

Ao longo desse ano, conheci muita gente bacana. É uma relação que se fortalece a cada post, a cada curtir, a cada comentário. O mais interessante e belo, é que mesmo sem se conhecer pessoalmente, todo mundo se ajuda. É uma grande cooperação, sempre se incentivando.

Decidi escrever um poema que refletisse essa minha experiência no mundo dos blogs. Tentei escrever de maneira descontraída e utilizando alguns termos típicos desse mundo digital. Espero que goste! Continuar lendo “POEMA: BLOGOSFERA”

POEMA: BLOGOSFERA

OUTRO LADO ARTÍSTICO

Escrever é uma arte. Considero qualquer tipo de escrita uma arte, o que vai dizer se é boa arte, ou não, é a qualidade do texto. Como qualquer pessoa que visita meu blog pode ver, escrever é algo do qual gosto muito. A escrita é uma arte peculiar, pois quem escreve possui apenas as palavras como ferramenta de trabalho, com a ajuda da imaginação do leitor.

Toda pessoa que desenvolve alguma forma de arte, não fica apenas em uma, apesar de possuir um foco principal, sempre há outra maneira de expressão artística que lhe interessará. É comum ver, por exemplo, atores que são grandes cantores, ou o contrário, entre diversos outros exemplos que poderiam ser citados — o importante aqui é a ideia central do que quero dizer.

Sempre gostei de desenhos animados, principalmente quando eu era criança. Era uma alegria acordar cedo aos sábados para assistir meus personagens favoritos (hoje em dia acordar cedo em um sábado é o pior dos pesadelos). Eu sempre imaginava como os desenhos eram produzidos, como as pessoas faziam para o que era visto na tela se movimentasse. Já na adolescência, aprendi como tudo isso funciona. Meu primeiro contato, após os flip books, foi com o programa Flash, na época pertencente à Macromedia, que foi comprada pela Adobe. Continuar lendo “OUTRO LADO ARTÍSTICO”

OUTRO LADO ARTÍSTICO

POEMA: DOR

Há uma semana, mais ou menos, eu estava sentindo muita dor, eu não estava bem. E uma ideia me surge de uma situação adversa, mais uma vez.

Quem é que nunca sentiu dor? Já nascemos com ela, ao respirar o ar que nossos pulmões não estavam acostumados a receber. Se trata de um sentimento que nos acompanha pelo resto da vida, ruim pois senti-la não é bom, mas ao mesmo tempo nos faz lembrar de que estamos vivos e devemos seguir em frente.

Gosto de ser engraçado e acredito possuir certa facilidade em criar algo que possa fazer rir. Por isso a primeira estrofe que criei foi a última, que parece um pouco boba até, mas que é divertira (eu acho). O resto foi se desenrolando ao me lembrar de situações em que a dor passou pela minha vida.

Foi um poema bom de se escrever, e espero que seja bom de ler. Espero que goste. Pode dizer o que achou nos comentários. Seja sincero. Continuar lendo “POEMA: DOR”

POEMA: DOR

5 LIVROS QUE COPIARAM A CAPA DO FILME 👎😒👎

Desde que o cinema se popularizou, diretores têm adaptado livros de sucesso para as telonas. Ao longo da história cinematográfica houve excelentes adaptações, dignas de Oscar, e outras bem ruins, dignas de vergonha alheia.

Essa parceria entre literatura e cinema é benéfica para todos os envolvidos. O escritor lucra com a venda dos direitos autorais, assim como seu editor. Além disso, seu nome ganha mais fama. Já os envolvidos com o filme podem ganhar muito dinheiro com o sucesso da película.

Há autores desconhecidos que ganham fama após o sucesso de um filme, pois seu livro passa a ser mais procurado. Se o autor já for muito conhecido, os produtores do filme podem contar com um lucro praticamente garantido.

Algo comum no meio editorial é a utilização da arte da capa de um filme para a arte da capa de um livro. Muitas editoras tentam entrar na onda de sucesso, deixando a criatividade de lado. Isso resulta em capas genéricas, que não representam o livro de verdade.

Utilizando a ideia do POST da semana passada, dessa vez trago cinco capas de livros que copiaram as capas das suas respectivas adaptações cinematográficas. São capas sem qualquer pingo de criatividade. É muito fácil pagar os direitos para utilizar uma imagem que já está pronta. Também é uma pena, pois muitos artistas fariam obras mais bonitas e mais chamativas para as editoras.

Confira esses desapontamentos: Continuar lendo “5 LIVROS QUE COPIARAM A CAPA DO FILME 👎😒👎”

5 LIVROS QUE COPIARAM A CAPA DO FILME 👎😒👎

POEMA: O QUE POSSO DIZER?

Encontrei esse poema vasculhando os arquivos em meu computador. Sequer lembrava que o havia escrito. Achei os versos bonitinhos, de uma época onde eu era mais romântico do que agora, com certeza. O poeta pode fingir sentimentos para melhorar a sua obra, seus versos não precisam necessariamente representar o que realmente sente. Gosto desses versos porque não se trata de algo parecido, são palavras sinceras. Apenas fiz algumas alterações que achei necessárias, pois o tempo nos deixa mais críticos, quanto mais escrevemos, mais aprendemos e melhoramos. A última estrofe é nova, parecia que estava faltando um final.

Não é nenhuma-obra prima, mas espero que goste, nobre pessoa que dedicou parte de seu tempo para visitar meu blog. Continuar lendo “POEMA: O QUE POSSO DIZER?”

POEMA: O QUE POSSO DIZER?

ROCK E POESIA – POETS OF THE FALL

A banda finlandesa Poets of the Fall é algo peculiar no cenário musical atual. Formada em meados de 2003, possui 7 álbuns lançados até então; ‘Clearview’ foi o último, em 2016.

Apesar de ser uma banda da Finlândia, Marko Saaresto, o vocalista, canta e escreve as canções em inglês. Sua voz é única e surpreende tanto nas versões de estúdio, quanto ao vivo. Ele é um baixo-barítono treinado. Os outros membros da banda são: Markus Kaarlonen, Olli Tukiainen, Jani Snellman, Jaska Makinen e Jari Salminen. A qualidade musical de cada um deles é tão grande quanto a dificuldade de pronúncia (e escrita) de seus nomes. Continuar lendo “ROCK E POESIA – POETS OF THE FALL”

ROCK E POESIA – POETS OF THE FALL

POEMA: EVIDENTE

Aqui no blog já escrevi sobre terror, sobre clássicos, já escrevi dicas e fui muito crítico. Nunca escrevi algo sobre o amor, nem algo bonitinho. Por isso decidi postar esse poema, para fugir dos padrões. Já faz algum tempo que o escrevi, porém é a primeira vez que o posto em algum lugar. Não sou só trevas e escuridão, também tem amor nesse coração ❤😂. Espero que goste. Continuar lendo “POEMA: EVIDENTE”

POEMA: EVIDENTE

E SE AS CAPAS DOS LIVROS FOSSEM MEMES?

Existem livros com capas chamativas, que realmente transmitem a ideia do livro, seja de uma maneira bonita, macabra ou misteriosa. Há, também, aquelas capas bem toscas, que parecem terem sido feitas por crianças de sete anos de idade. Bem, de uma forma ou de outra, a capa do livro chama a atenção de um possível comprador, seja de maneira positiva, ou negativa. Uma boa capa pode cativar e fazer com que o livro seja vendido, uma capa ruim pode espantar o cliente, mesmo que o conteúdo do livro seja bom. Mas, e se a premissa fosse outra? Já pensou se as editoras utilizassem imagens engraçadas, fazendo uso do humor para conseguir mais vendas? A página do Facebook “Obras literárias com capas de memes genuinamente brasileiros” já pensou nisso. A premissa da página é utilizar um meme (imagem engraçada que viraliza na internet) que tenha alguma relação com o título da obra literária, criando uma piada. Além da intenção de ser engraçada, a página acaba incentivando a leitura através do humor. Gostei bastante da ideia, é uma página muito engraçada para quem gosta de ler. Por isso, resolvi compartilhar algumas das postagens mais engraçadas da página. Espero que você goste tanto quanto eu gostei, e se assim for, aproveite e deixe um like na página, para incentivar o trabalho de seus administradores. Continuar lendo “E SE AS CAPAS DOS LIVROS FOSSEM MEMES?”

E SE AS CAPAS DOS LIVROS FOSSEM MEMES?

POEMA: SOBRE A ESCURIDÃO

Esse é um poema de 2012, escrito por um Alan mais jovem, fascinado por livros, histórias e jogos de terror. O resultado disso não poderia ser diferente, alguns versos sobre algo presente em qualquer boa prosa de horror: a escuridão.

A escuridão é um tema amplo, que pode ser explorado de diversas maneiras. Ninguém sabe o que se esconde na penumbra, quais criaturas se esgueiram por ela, os piores pesadelos que ela pode trazer. Enfim, nossa imaginação parece ganhar uma enorme força quando confrontada com a falta de luz. Ironicamente, a falta é o que dá luz à imaginação.

Deixo o aviso: tome cuidado com a escuridão, ela te observa, pode sentir seu medo. Continuar lendo “POEMA: SOBRE A ESCURIDÃO”

POEMA: SOBRE A ESCURIDÃO