Novembro e a luz no fim do túnel

Foi mais ou menos dessa forma que vi o mês de novembro. Muita coisa iria melhorar quando esse mês terminasse, e isso estava claro logo em seu início: os trinta dias que estavam por vir seriam duros, porém, ao final, haveria alívio. Último bimestre, últimas provas, trabalhos para serem entregues, estágio se encerrando, prazos apertados.

Dezembro iniciou-se sexta-feira, hoje é domingo, o terceiro dia do mês que encerra o ano. Consigo respirar com mais tranquilidade, afinal estou de férias, ao menos da faculdade, o que já significa uma preocupação a menos. Novembro foi puxado nos estudos, entretanto muito recompensador. O estágio prático, que ocorreu ao longo do ano e encerrou-se em novembro, parte da formação de um psicólogo, foi uma grande experiência. Tive uma ótima supervisora, grande conhecedora das técnicas da Análise do Comportamento. Aprendi muito com ela e com os atendimentos práticos. Passei a conversar com pessoas da minha sala com as quais eu não possuía um grande contanto, pois tornaram-se meus colegas de supervisão.

Apesar da correria, não deixei o blog de lado e mantive as postagens constantes, algo que gosto muito. Espero, nesses dois meses de férias, criar posts mais interessantes. Sem outras preocupações e com mais tempo livre para escrever e pensar, acho que isso será possível. Ademais, espero ler ainda mais nessas férias, hábito que mantive em novembro. Em geral, foram livros mais curtos, por conta da escassez de tempo, porém tamanho não quer dizer qualidade. Uma obra pode dizer muito em poucas páginas, isso depende da habilidade do escritor.

Seguindo um outro hábito, vamos ao ranking do mês de novembro!


ensaio_cegueira_capa4° Ensaio sobre a cegueira – José Saramago (Companhia das Letras, 1995): Esta é a obra mais conhecida do autor português, único representante lusófono a vencer um Nobel de literatura. Polêmico, sofreu diversas tentativas de censura, pois era um grande crítico da Igreja Católica. Em ‘Ensaio sobre a cegueira’ não vemos esse lado do autor, todavia, sua crítica se dirige a outros aspectos da vida humana. O que aconteceria se houvesse um surto de cegueira? Como a população e o governo reagiriam? Comporia esse um cenário onde ética e moral seriam deixadas de lado? Saramago realmente escreve um ensaio sobre como seria um mundo assim, onde o ser humano viveria como um animal, da forma mais degradante. Uma premissa muito interessante, além de levantar diversas questões, mas a forma que a narrativa é construída (a escrita do autor, sua vontade de explicar tudo, algumas escolhas de personagens) deixa a leitura um pouco cansativa e desinteressante. Não é querer tirar o brilho do autor e de sua obra, porém esse não é o livro mais divertido de ser lido. Para entender melhor isso, veja o post que fiz sobre essa leitura AQUI.


medo_classico_poe_capa3° Medo clássico – Edgar Allan Poe (Darkside Books, 2017): Poe, o pai da literatura de horror, teve uma carreira curta, mas deixou um grande legado, sendo inspiração para diversos grandes autores que vieram depois dele. Esse livro é o primeiro volume de uma coletânea de seus contos, publicado pela editora Darkside Books, com muito capricho. A edição é em capa dura, produzida com material de qualidade, boa tradução e com conteúdo extra. Os contos são divididos por temáticas. Temos algumas das obras mais importantes do autor, como ‘O poço e o pêndulo’, ‘Os assassinatos na rua Morgue’, ‘O gato preto’ e seu famoso poema ‘O corvo’, na versão original e nas traduções de Fernando Pessoa e Machado de Assis. São quinze contos no total, alguns bons, outros tediosos. Apesar disso, é inegável a importância de Poe para a literatura mundial, sendo um autor imprescindível na estante de qualquer leitor. Vale a pena conhecer alguns de seus contos, principalmente para quem gosta de terror, horror e mistério. Escrevi um post sobre esse livro, clique AQUI para vê-lo.


o_estrangeiro_capa2° O estrangeiro – Albert Camus (Record/Altaya, 1995): As décadas de 1950 e 1970, período pós-guerra, foram prósperas para os filósofos franceses. Camus, vencedor do Nobel de literatura de 1957, era um deles e se diferenciou, esquivando-se do existencialismo, escola filosófica forte, tendo Sartre como grande representante. Camus defendia a filosofia do absurdo, que levava alguns conceitos do existencialismo, porém negando outros. Para esse movimento filosófico, a vida não possui sentido. Em ‘O estrangeiro’, o autor demonstra essa filosofia na prática, pois a narrativa é totalmente baseada nessa ideia. O protagonista, Meursault, choca o leitor com sua frieza e falta de sentimento logo no início da obra, ao dizer que sua mãe havia morrido, mas que não sabia quando, e que isso não importava. É possível ver o absurdo em cada detalhe. Um livro curto, de leitura rápida. Camus deixa toda a interpretação por conta do leitor, ele não explica detalhes das personagens e do enredo, esse é o grande diferencial da obra. Para conhecer a filosofia do absurdo com maior profundidade, é interessante ler outros de seus livros, entretanto, você pode ler o meu post sobre ‘O estrangeiro’ e já ficar por dentro de algumas de suas ideias, basta clicar AQUI.


a_senhora_lago_capa1° A senhora do lago – Andrzej Sapkowski (WMF Martins Fontes, 2017): Livro que encerra a saga do maior representante polonês da literatura fantástica. Composta por sete livros, a história do bruxo Geralt de Rívia chega ao fim em grande estilo, com uma narrativa frenética, constante, sem deixar o ritmo cair. Todos os acontecimentos anteriores terão o seu desfecho. Qual será o destino das personagens e do mundo? Quem será o vencedor da grande guerra, os Reinos do Norte, ou o império de Nilfgaard? Sapkowski construiu sua obra sempre fazendo uso de um humor ácido, reflexões políticas e econômicas. Essas discussões nunca foram tão presentes quanto em ‘A senhora do lago’, originalmente livro único, que foi dividido em dois volumes pela editora aqui no Brasil. Saga que trouxe renovação ao gênero fantasia, com raízes em Tolkien, porém com uma escrita mais moderna, utilizando temas do mundo real em um ambiente fantástico. Vale muito a pena conhecê-la, Sapkowski, assim como Geralt, é muito sagaz e criativo. Veja minha análise sobre esses dois volumes finais, AQUI.


E aí, gostou do ranking? Conhecia algum desses livros? Se estava procurando algumas dicas de leitura, acho que encontrou uma resposta!

Conte nos comentários como o mês de novembro foi para você, e o que espera em dezembro. Eu espero descansar bastante e que seja um ótimo mês para todos!

Obrigado por ler até aqui, agradeço muito sua visita.

Grande abraço!

Alan Martins

novembro_luz_tunel_destaque
Order New York Tunnel Light Central Park (editado). Imagem publicada sob Licença (CC0 1.0). Disponível em: http://maxpixel.freegreatpicture.com/photo-1885387.

Curta a página do blog no Facebook 👍

Siga no Instagram 📸

Siga no Twitter 🕊

Gosta de livros?📚 Veja outras dicas de leitura »»AQUI«««

Gosta de poesia? 🍂 Confira algumas »»»AQUI«««

Veja algumas dicas ‼  »»»AQUI«««

Confira algumas listas  »»»AQUI«««


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Anúncios
Novembro e a luz no fim do túnel

8 comentários sobre “Novembro e a luz no fim do túnel

  1. Novembro passou como o ano… num estalar de dedos. Eu estava ansiosa por causa de projetos e isso, com certeza, contribuiu para que os dias se atropelassem. E teve trovões como tanto gosto. Foi mais primavera-que-verão. Dias cinza e chuvosos. Enfim, foram dias de novembro. E agora é aguentar dezembro, esse mês com festas e caos nas ruas. Todo mundo tem pressa. Eu li bem menos (livros prontos) mas li bastante os bastidores de livros que em breve estarão em prateleiras e confesso que sinto algum prazer nesse ‘meditar particular’.

    bacio

    Curtido por 1 pessoa

    1. Além dessa loucura nas ruas, dezembro vai trazer muito calor pelo jeito. Interior de SP parece um deserto!
      Que esse seja um mês mais tranquilo para todos nós, que possamos colocar as cosias no lugar, inclusive as leituras, tudo no eixo.
      Obrigado pela sua presença! 😀
      Abraço.

      Curtir

    1. Foi uma correria total! Mas agora vai ficar tranquilo, o ano acabou, férias (da faculdade). Eu recomendo que leia sim, mas esse livro é o último da saga. Você vai gostar bastante, são todos livros muito bons! Se gosta de fantasia, vai gostar muito!

      Curtir

  2. Alan, lendo sua postagem me recordei da noite de ontem e minhas andanças pelo centro da cidade observando os comportamentos alheios e suas disposições em relação a psicologia social. Tenho grande interesse de possuir uma especialização em psicologia social com base em comportamentos, talvez possamos nos interligar e trocar algumas informações tecno-cientificas no decorrer do ano que vem. Sou graduanda em Serviço Social mas tenho um grande anseio pela psicologia de uma forma geral.
    Bendita hora em que encontrei seu blog e toda sua carga literária e analitica. Sucesso sempre!

    Tenha um ótimo domingo companheiro!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Fico muito feliz em saber que meu blog te ajudam, trazendo novas informações. Em Serviço Social, a teoria mais comum é a sócio-histórica, porém é possível trabalhar com outras teorias também. A Análise do Comportamento pode ajudar bastante nessa área, porque é uma teoria que também vê esse lado histórico, o meio onde a pessoa está inserida, mas de uma outra forma, analisando as contingências que reforçaram os comportamentos e pensamentos que a pessoa possui hoje. Dá para ter um bom diálogo sobre esse tema.
      Vamos conversando sim, trocando experiências e conhecimentos.
      Um grande abraço e um ótimo domingo para você também!

      Curtido por 1 pessoa

  3. Sempre leitura de primeira linha. Muito bom. É realmente um alívio quando as férias chegam. Lembro dos meus tempos de faculdade mas ao mesmo tempo sentia falta daquela movimentação que era a nossa turma do jornalismo. Sinto saudade desse tempo. Aproveite e viva tudo o que puder Alan, acredito que talvez esse seja o nosso período de transição mais agudo e de grande saudade. Belo post como sempre. Grande abraço e feliz domingo.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu imagino que vou sentir muita saudade da faculdade também, das pessoas, dos amigos, de toda sentimentos que os estudos trazem, bons e ruins. No começo das férias, é um grande alívio, mas, no meio de janeiro, já bate uma saudade, um leve tédio. Obrigado pelas palavras, vou tentar aproveitar o máximo de cada momento, que como você apontou muito bem, é de uma aguda transição. Fico feliz que tenha gostado do post!
      Agradeço sua presença. Grande abraço, ótimo domingo e bom início de semana.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s